Patologia da ColunaPatologia da Coluna

MI-TLIF

As causas anatômicas de dor nas costas têm sido tratadas cirurgicamente com a artrodese (fusão espinhal). Uma das técnicas utilizadas é o TLIF (do inglês Transforaminal Lumbar Interbody Fusion), que permite a descompressão tanto da estenose (estreitamento) central quanto foraminal através de uma única incisão posterior, inicialmente descrito por Harms and Rolinger (2). Com o desenvolvimento das técnicas minimamente invasivas de laminectomias e facetectomias por dilatadores tubulares (ver descompressão), além de parafusos pediculares percutâneos e próteses intervertebrais, a técnica manteve os mesmos bons resultados do TLIF aberto, porém com menor perda sanguínea no intra-operatório, menor tempo cirúrgico, alta hospitalar antecipada e melhores resultados de fusão (3–5).

TÉCNICA CIRÚRGICA

No MI-TLIF, a incisão costuma ser no lado mais sintomático. A fluoroscopia é essencial na localização do nível a ser operado, assim como na inserção dos dilatadores tubulares e colocação dos cages interssomático para artrodese anterior. O portal de trabalho apresenta 22 mm de diâmetro e mantém-se preso à mesa cirúrgica por um braço especial. Durante todo o processo cirúrgico, o médico cirurgião utiliza-se de microscópio para melhor visualização das estruturas, que incluem musculatura paravertebral, facetas articulares, ligamento amarelo, raízes nervosas, e também a retirada do disco intervertebral para colocação de um cage interssomático (prótese intervertebral). Para suplementação posterior utilizam-se parafusos percutâneos minimamente invasivos (6).

Referências
1. Wong AP, Smith ZA, Stadler JA, Hu XY, Yan JZ, Li XF, et al. Minimally invasive transforaminal lumbar interbody fusion (MI-TLIF): surgical technique, long-term 4-year prospective outcomes, and complications compared with an open TLIF cohort. Neurosurg Clin N Am. abril de 2014;25(2):279–304.

2. Harms J, Rolinger H. Die operative Behandlung der Spondylolisthese durch dorsale Aufrichtung und ventrale Verblockung. Z Orthop Unf. 18 de março de 2008;120(03):343–7.

3. Schwender JD, Holly LT, Rouben DP, Foley KT. Minimally invasive transforaminal lumbar interbody fusion (TLIF): technical feasibility and initial results. J Spinal Disord Tech. fevereiro de 2005;18 Suppl:S1–6.

4. Wang H-L, Lü F-Z, Jiang J-Y, Ma X, Xia X-L, Wang L-X. Minimally invasive lumbar interbody fusion via MAST Quadrant retractor versus open surgery: a prospective randomized clinical trial. Chin Med J (Engl). dezembro de 2011;124(23):3868–74.

5. Humphreys SC, Hodges SD, Patwardhan AG, Eck JC, Murphy RB, Covington LA. Comparison of posterior and transforaminal approaches to lumbar interbody fusion. Spine. 1 de março de 2001;26(5):567–71.

6. Lee CK, Park JY, Zhang HY. Minimally Invasive Transforaminal Lumbar Interbody Fusion Using a Single Interbody Cage and a Tubular Retraction System : Technical Tips, and Perioperative, Radiologic and Clinical Outcomes. J Korean Neurosurg Soc. setembro de 2010;48(3):219–24.

Fale Conosco