Patologia da ColunaPatologia da Coluna

Fusão Lombar

Convencionais: Os tratamentos convencionais de artrodese abordam a coluna vertebral tanto pela frente (ALIF) quanto por trás (PLIF e TLIF). Quando acessada anteriormente (ALIF), a incisão se dá pelo abdômen do paciente, sendo o acesso chamado de retroperitoneal, pois se desloca o intestino, sem a necessidade de atravessá-lo. Nesse tipo de cirurgia pode haver sangramento elevado, pois há manipulação dos grandes vasos abdominais (Aorta e Veia Cava), além do risco de danos do sistema nervoso simpático. O ligamento longitudinal anterior (ALL), responsável pela estabilização das vértebras, é necessariamente removido e o tempo de recuperação do paciente tende a ser grande. Quando acessada posteriormente, a musculatura posterior é duramente afetada. É necessária a retirada de toda a parede óssea posterior e são colocados parafusos pediculares. Para colocar-se um “calço”, é necessária a manipulação das raízes nervosas e do saco dural, o que pode causar o comprometimento dos nervos. A recuperação da musculatura posterior é demorada e deve ser realizada com acompanhamento de fisioterapia e exercícios físicos.

Minimamente Invasivo: A coluna tóraco-lombar pode ser acessada lateralmente. Essa via de acesso evita a manipulação de grandes vasos, ligamentos e musculatura posterior. Utilizando-se dilatadores para divulsionar as fibras do músculo Psoas, é possível chegar ao disco doente através de pequenas incisões e com pequeno sangramento, sem maiores danos aos tecidos adjacentes. Evita-se também a utilização de parafusos e barras na grande maioria dos casos, pois no local do disco doente coloca-se um “calço” que estabiliza as vértebras adjacentes, indiretamente descomprimindo os nervos e o canal medular, permitindo assim a artrodese do nível afetado. O paciente geralmente pode caminhar no mesmo dia e receber alta no dia seguinte. O retorno às suas atividades normais tende a ser antecipado e sua recuperação total normalmente ocorre em muito menos tempo quando comparada às cirurgias tradicionais.

Fale Conosco