Patologia da ColunaPatologia da Coluna

Dor Ciática

O principal sintoma da hérnia de disco lombar é a dor ciática, que consiste na dor irradiada para as pernas, podendo haver perda de força, sensibilidade ou reflexos na área inervada pela raiz lesada (queimação, formigamento). Logo, dependendo do nível acometido pela hérnia, a dor será irradiada para uma área específica do membro, que auxiliará a avaliação clínica e diagnóstico realizado por especialista, e que posteriormente deve ser confirmada pelos exames de imagem.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

A ressonância magnética é o exame mais indicado para o diagnóstico correto da patologia, pois fornece ao médico informações valiosas em relação à sua localização, seu grau de degeneração e todas as estruturas envolvidas.

Quando a patologia encontra-se na fase inicial de abaulamento discal, o tratamento conservador é utilizado, e deve incluir anti-inflamatório e repouso na fase aguda, fisioterapia na fase pós-aguda e reforço muscular orientado para tratar os sintomas e evitar o avanço da degeneração. Por exemplo, quando uma pessoa é portadora de uma hérnia de disco com sintomas irradiados para as pernas (dores, formigamento, diminuição de sensibilidade), ela não deve alongar este membro, pois o mesmo encontra-se sensibilizado e o alongamento poderá aumentar os sintomas. Da mesma forma, os movimentos de rotação de coluna e movimentos de abaixar e esticar em grandes amplitudes de movimento devem ser evitados.

No caso de protrusões, hérnia de disco e sequestro, com comprometimento das raízes nervosas e estenose de canal, o tratamento pode vir a ser cirúrgico. Nos casos de protrusões, procedimentos minimamente invasivos como injeções espinhais são indicados. Para etapas mais avançadas, é necessária a descompressão das estruturas nervosas, retirando-se o fragmento da hérnia ou abrindo-se uma janela óssea posterior. Para os casos mais graves, a retirada total do disco e fusão dos corpos intervertebrais (artrodese), pode ser indicada.

Para obter o diagnóstico e tratamento correto, procure sempre um especialista.

Referências
1. Malmivaara A, et al. Surgical or Nonoperative Treatment for Lumbar Spinal Stenosis? Spine. 2007 Jan;32(1):1–8.

2. Genevay S, Atlas SJ. Lumbar spinal stenosis. Best Pract Res Clin Rheumatol. 2010 Apr;24(2):253–65.

3. Benz RJ, Garfin SR. Current techniques of decompression of the lumbar spine. Clin Orthop. 2001 Mar;(384):75–81.

Fale Conosco